Universitária norte-americana carrega o colchão em que foi violada como forma de protesto

03-09-2014

Emma Sulkowicz, de 21 anos, estudante de artes da Universidade de Columbia, em Nova Iorque, foi violada por um colega de curso, em 2012, quando tinha 19 anos. A faculdade considerou o alegado violador inocente por «falta de provas». Como forma de protesto, contra a reitoria e a presença do agressor no campus, Emma decidiu carregar para todo o lado o colchão onde ocorreu a violação. «Fui violada na minha cama, no dormitório da faculdade. Sinto que carrego o peso do que aconteceu comigo para todos os lugares», disse em entrevista ao jornal Columbia Spectator. Para a jovem, carregar o colchão para todo lado será também como suportar o peso emocional que as vítimas de violação sentem. Emma prestou queixa na polícia contra o estudante que a violou, encorajada por duas outras jovens que também teriam sido vítimas do mesmo homem, e a sua violação passou a ser também o seu tema de tese para o curso de artes visuais que frequenta. O colchão que começou a carregar é agora uma peça de arte para manifestar o seu repúdio pelo crime de violação e pela actuação da universidade. O protesto deverá durar enquanto o violador estiver na universidade.

Avaliar

Comentários (X)

Deixe um comentário...