Notícias

Mesa Redonda sobre Guiné-Bissau arranca em Bruxelas

298 Visualizações | Luanda Digital

Falando durante a cerimónia de abertura do encontro, Domingos Simões Pereira, Primeiro-ministro da Guiné-Bissau, disse que este fórum é um momento cimeiro de partilha de visão estratégica e de restauração dos quadros de parceria e de cooperação entre a Guiné-Bissau e os seus parceiros internacionais. «Uma parceria a edificar em novas e eficientes bases que permitam projectar o país para um amplo compromisso com a estabilização política e governativa, de modo a garantir um desenvolvimento equitativo e durável», disse Simões Pereira. Por outro lado, o Chefe do Governo reconheceu que o faz com a consciência de um passado governativo que não orgulha a ninguém e que não favoreceu nem a estabilidade nem a promoção do desenvolvimento da Guiné-Bissau. «Hoje, é dessa experiência que retiramos a confiança da nossa aprendizagem e sobretudo do nosso compromisso e empenho em mudar o rumo do nosso destino, enquanto nação que se quer projectar no mundo com renovadas premissas», sublinhou. Neste sentido, o Primeiro-ministro disse que o país se encontra nesta reunião para dizer aos parceiros internacionais que está pronto para uma parceria renovada, sólida e dinâmica, centrada num diálogo político elevado e em instrumentos de diálogo técnico consubstanciados no Plano Estratégico e Operacional 2025, que vai apresentar aos doadores internacionais. «A Guiné-Bissau está aqui também enquanto momento político novo, caracterizado por reformas profundas e estruturantes das instituições do Estado, importantes passos dados no processo de reforma do sectores da Defesa e Segurança, de combate às actividades e práticas lesivas ao património público, segurança do Estado e Bem Comum, e na melhoria do desempenho económico, que demonstram a determinação das novas autoridades saídas das eleições Gerais ocorridas em Julho de 2014, em dar um novo rumo ao país, edificando e consolidando os fundamentos para a boa governação», informou Simões Pereira. A nível interno, o Primeiro-ministro informou a comunidade internacional presente no encontro de Bruxelas que o país produziu consensos alargados a todas esferas da sociedade política e sociedade civil, a aprovação por unanimidade do Programa de Governação e Orçamento Geral do Estado, algo inédito na história democrática, e a elaboração de uma visão a curto, médio e longo prazos demonstram a determinação do povo guineense em reconstruir a sua história e o seu destino. «É nessa base que a Guiné-Bissau traz para esta conferência a esperança acrescida de um povo sofrido, que apesar das dificuldades que passou nos últimos tempos acredita num futuro melhor e pretende construí-la e partilhá-la com os seus parceiros internacionais», sublinhou. Perante esta realidade positiva do país, Simões Pereira disse que tem a profunda convicção de que a Guiné-Bissau irá transformar-se num caso de grande sucesso em matéria de consolidação da estabilidade e da boa governação. «Para que este desfecho seja assegurado e que esta oportunidade que se abriu perante nós não seja desperdiçada, o nosso país precisa de uma intervenção robusta e impactante dos parceiros de desenvolvimento para a consolidação da estabilidade política, quer ao nível económico e financeiro, quer ao nível da cooperação para alavancar os pressupostos de uma transição efectiva para o desenvolvimento durável», apelou. Para convencer a comunidade internacional sobre esta iniciativa, o Chefe do Governo informou que o país vive, hoje, um novo ciclo político focado no fortalecimento do Estado, normalização da vida pública, garantia da estabilidade social, reconstrução económica e combate à pobreza, tendo reconhecido que, contudo, é inegável que paira sobre a Guiné-Bissau a condição de Estado institucionalmente frágil, pós-conflito e com escassos recursos financeiros, acrescida das consequências políticas, económicas, ambientais e sociais gravosas daí derivadas e que configuram enormes desafios de governação. «Vencer estas barreiras revela-se fundamental para a consolidação dos processos de estabilização política e social, e o fortalecimento do Estado de direito democrático em curso», disse. Simões Pereira referiu que, para um Estado tributário da assistência internacional como é a Guiné-Bissau, os efeitos da ajuda externa no tecidos social, político e económico, e na credibilidade e autoridade do Estado são fundamentais e decisivos para a garantia da eficiência do desenvolvimento enquanto um mecanismo de estabilização nacional e regional. A terminar o Primeiro-ministro da Guiné-Bissau disse que ajuda Pública ao Desenvolvimento que se solicita em Bruxelas à Comunidade Internacional, visa criar as condições para alavancar o combate à pobreza, melhorar a segurança humana através da educação e da saúde, criar as infra-estruturas económicas e sociais indispensáveis e reforçar a capacidade das instituições do Estado, de modo a poder mobilizar outros fluxos internos e externos de financiamento do desenvolvimento. «Neste propósito, solicitamos o indispensável apoio de todos os parceiros multilaterais e bilaterais para o sucesso desta conferência, pois fico por aqui e sublinho simplesmente que estamos aqui todos, guineenses e amigos da Guiné-Bissau, esperançosos porque acreditamos na vossa solidariedade e disponibilidade em participar na construção da Guiné-Bissau», concluiu Simões Pereira.

Fonte: Luanda Digital

c

©2021 ASGLOBAL / Angola Formativa // Viana - Luanda - Angola | Agência WebdesignBYDAS

Voltar ao Inicio

angola

luanda

ciências

superior

guiné

instituto

bissau

doutoramento

mestrado

licenciatura

angola

luanda

ciências

superior

guiné

instituto

bissau

doutoramento

mestrado

licenciatura

angola

luanda

ciências

superior

guiné

instituto

bissau

doutoramento

mestrado

licenciatura

angola

luanda

ciências

superior

guiné

instituto

bissau

doutoramento

mestrado

licenciatura

angola

luanda

ciências

superior

guiné

instituto

bissau

doutoramento

mestrado

licenciatura

angola

luanda

ciências

superior

guiné

instituto

bissau

doutoramento

mestrado

licenciatura

angola

luanda

ciências

superior

guiné

instituto

bissau

doutoramento

mestrado

licenciatura

angola

luanda

ciências

superior

guiné

instituto

bissau

doutoramento

mestrado

licenciatura

angola

luanda

ciências

superior

guiné

instituto

bissau

doutoramento

mestrado

licenciatura

angola

luanda

ciências

superior

guiné

instituto

bissau

doutoramento

mestrado

licenciatura