Notícias

Governos africanos sujeitos a maior pressão na regulamentação de combate à corrupção

282 Visualizações | Luanda Digital

Este é um dos tópicos discutidos esta sexta-feira, 13 de Maio, numa videoconferência com Uche Orji, CEO e Diretor-Geral da Autoridade do Investimento Soberano da Nigéria (NSIA - Nigerian Sovereign Investment Authority), moderada pelo CEO da Control Risks, Richard Fenning. Embora a lei sobre práticas de corrupção no estrangeiro, dos EUA (FCPA), e a lei anticorrupção do Reino Unido (UKBA) ainda sejam as referências na regulamentação contra o suborno e a corrupção, os Governos de vários países africanos estão a ser cada vez mais pressionados a adotar a tendência atual nos países em desenvolvimento de uma aplicação mais severa das leis. Uma abordagem integrada e global para reduzir o risco de corrupção é importante, mas os ajustes locais são fulcrais. Os hábitos estão a mudar em muitos países africanos e, frequentemente, a determinação da direcção e a aceitação de tempo «desperdiçado» e de custos mais elevados pode evitar a necessidade de subornos para garantir um negócio. Apenas 66% das empresas que operam ao nível internacional têm políticas em vigor para proibir pagamentos de facilitação. Tom Griffin, Diretor-Geral da Control Risks na África Ocidental, comentou a videoconferência: «Frequentemente as empresas tentam implantar um programa global de combate ao suborno e à corrupção a partir da sede Ocidental, e ficam surpreendidas por este não ser implementado eficazmente noutros mercados. Este fenómeno não é exclusivo dos países africanos. As empresas precisam de adaptar as políticas e iniciativas à cultura local, por exemplo, no tipo de formação dos funcionários. Alguns dos nossos clientes com sede em África têm mais sucesso no combate ao suborno e à corrupção do que aqueles que têm a sede noutros continentes, pois têm programas dedicados aos problemas específicos do seu mercado». «Conhecer o mercado local e o país em que se opera é essencial para implementar um programa de combate ao suborno e à corrupção bem-sucedido. A Control Risks vê uma mudança nos hábitos de muitos países africanos. O combate à corrupção ganhou mais destaque do que nunca na agenda política. Quando discutimos os problemas de corrupção nas operações nestes países, temos de estar cientes disso», acrescentou. A Control Risks é uma consultora de risco global, especializada em riscos políticos, de segurança e de integridade, a trabalhar há mais de 30 anos em África.

Fonte: Luanda Digital

c

©2021 ASGLOBAL / Angola Formativa // Viana - Luanda - Angola | Agência WebdesignBYDAS

Voltar ao Inicio

superior

angola

instituto

politécnico

ciências

luanda

licenciatura

doutoramento

mestrado

faculdades

superior

angola

instituto

politécnico

ciências

luanda

licenciatura

doutoramento

mestrado

faculdades

superior

angola

instituto

politécnico

ciências

luanda

licenciatura

doutoramento

mestrado

faculdades

superior

angola

instituto

politécnico

ciências

luanda

licenciatura

doutoramento

mestrado

faculdades

superior

angola

instituto

politécnico

ciências

luanda

licenciatura

doutoramento

mestrado

faculdades

superior

angola

instituto

politécnico

ciências

luanda

licenciatura

doutoramento

mestrado

faculdades

superior

angola

instituto

politécnico

ciências

luanda

licenciatura

doutoramento

mestrado

faculdades

superior

angola

instituto

politécnico

ciências

luanda

licenciatura

doutoramento

mestrado

faculdades

superior

angola

instituto

politécnico

ciências

luanda

licenciatura

doutoramento

mestrado

faculdades

superior

angola

instituto

politécnico

ciências

luanda

licenciatura

doutoramento

mestrado

faculdades