Espanha: Detido falso Cônsul Honorário da Guiné-Bissau

22-06-2015

Um cidadão de nacionalidade argentina e espanhola, de 77 anos de idade, foi detido esta semana por agentes da Guarda Civil Espanhola, por desempenhar a função de Cônsul Honorário da Guiné-Bissau em Espanha, e por falsificação de documentos. Trata-se de um cidadão conhecido da justiça Espanhola, Aldo Daró Herchhoren, que já esteve na prisão anteriormente por delitos semelhantes, como a extorsão de 10 milhões de pesetas em 1994 a uma cliente, a quem prestou ilegalmente serviços de advocacia. Herchhoren tinha um website na Internet onde constava que era Cônsul Honorário da Guiné-Bissau e prestava serviços consulares a imigrantes guineenses, que pagavam um valor previamente determinado. As investigações levadas a cabo pelos agentes da Unidade Orgânica da Polícia Judiciária da Guarda Civil da Cidade de Guadalajara, a 30 minutos de Madrid, tiveram início em Maio depois da denúncia apresentada na Comissão da Policia da mesma cidade, por parte do Embaixador Guineense em Espanha, Paulo Silva. Depois de contactada a Embaixada da Guiné-Bissau em Madrid, o Chefe da Missão Diplomática guineense, Paulo Silva, para além de confirmar a detenção disse que ninguém pode representar uma nação como a Guiné-Bissau diplomaticamente no estrangeiro sem ter autorização prévia das autoridades competentes, que têm o direito de indigitar ou nomear um Cônsul, tendo assegurado que o cidadão em causa utilizou o nome do país por muitos anos de forma ilegal, sem que ninguém lhe tivesse imputado responsabilidade. De salientar que na passada segunda-feira os agentes da Polícia apreenderam vários documentos na residência de Aldo Daró Herchhoren, onde encontraram carimbos da Guiné-Bissau, selos, cartões-de-visita e passaportes dos imigrantes que pediram a renovação. Créditos de imagem: Guarda Civil do Ministério do Interior de Espanha

Avaliar

Comentários (X)

Deixe um comentário...