Embaixada dos EUA em Dakar monitoriza os desenvolvimentos na Guiné-Bissau

15-01-2015

«A nossa Embaixada em Dakar monitoriza os desenvolvimentos na Guiné-Bissau através de visitas regulares de funcionários diplomáticos, incluindo um funcionário responsável unicamente pela Guiné-Bissau», informou o Departamento de Estado. Como exemplo, o Governo americano informou que tem mantido regularmente encontros a todos os níveis, com o Executivo e com a sociedade civil, incluindo os media e as instituições de ensino. Neste sentido, o Departamento de Estado norte-americano considera que ainda se notam «progressos tremendos» na Guiné-Bissau, elogiando as reformas políticas no país. «Temos notado progressos tremendos desde as eleições em Maio de 2014 e encorajamos os representantes a continuarem os seus esforços», afirmou o Departamento de Estado norte-americano na declaração enviada à agência Lusa, depois de nomear um novo Embaixador para o Senegal e Guiné-Bissau e de ter readmitido o país lusófono no Programa de Crescimento e Oportunidade Africano. Em Dezembro, o Presidente Barack Obama readmitiu a Guiné-Bissau no programa de livre comércio com os EUA, chamado Acto para o Crescimento e Oportunidade Africano (AGOA). O país foi excluído da lista da elegibilidade do AGOA em Janeiro de 2013, devido ao golpe de Estado e à falta de progressos assinaláveis no combate ao tráfico de droga. Os EUA entendem agora que o país tem avançado substancialmente, ao restabelecer o Estado de direito e pluralismo político com as eleições Legislativas e Presidenciais, e uma transição com êxito para um Governo democrático. O documento da Casa Branca explica, por outro lado, que muitas coisas faltam para fazer em termos de consolidação do Estado de direito e redução da corrupção na Guiné-Bissau, contudo os sinais apontam para uma impetuosa reviravolta que pode servir de base para um crescimento económico estável e aberto ao investimento estrangeiro no país.

Avaliar

Comentários (X)

Deixe um comentário...