Cabo Verde: PM e Presidente da UCID criticam declarações do líder da CCSL

21-07-2015

Em declarações à Rádio de Cabo Verde (RCV), o Primeiro-ministro, José Maria Neves, classificou de «selvajaria» as declarações do presidente da CCSL, José Manuel Vaz. Para José Maria Neves, é preciso haver moderação, responsabilidade e boa educação para que haja condições de dialogar e encontrar as melhores soluções no sentido de responder às reivindicações dos trabalhadores. «O que eu tenho ouvido nos últimos dias não é sindicalismo. É selvajaria e, portanto, é preciso haver moderação, responsabilidade e boa educação para podermos ter condições de diálogo e podermos encontrar as melhores soluções. Democracia sim, liberdade sim, mas tem de haver responsabilidade e tem de haver respeito», salientou. José Maria Neves reiterou a sua «total confiança» no ministro da Justiça, José Carlos Correia. Por seu lado, o presidente da UCID, António Monteiro, repudiou as afirmações do líder da CCSL considerando que o facto de se estar num Estado de Direito Democrático, deveria existir alguma cautela «no que fazemos e dizemos», pois, o que interessa ao país é a tranquilidade e a paz social. «Se não tivermos essa paz social os ganhos que podemos ter podem-se perder de forma muito má», disse. José Manuel Vaz acusou, na semana passada, o ministro José Carlos Correia de «estar a abrir portas ao narcotráfico e ao terrorismo», por não responder positivamente às reivindicações dos funcionários da Polícia Judiciária (PJ), que têm motivado greve e ameaça de demissão em bloco. Tais declarações motivaram a entrega de uma queixa-crime contra o sindicalista, movida pelo ministro José Carlos Correia. Ao reagir à queixa-crime, José Manuel Vaz afirmou que o ministro «não tem dignidade moral e ética» para apresentar uma queixa contra o seu sindicato e contra a sua pessoa, porque «o governante é delinquente e criminoso» e não acata as decisões dos tribunais.

Avaliar

Comentários (X)

Deixe um comentário...