Desenvolvimento e promoção das TIC´S em Angola

Visualizações: 889 Published in: 20-11-2014 Author: Makiesse Pembele

O Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, através do Gabinete do Vice-Ministro das Tecnologias de Informação, levou a cabo a realização de conjunto de estudos prévios sobre a necessidade de implementação de medidas de desenvolvimento e promoção da indústria nacional do sector das TIC em Angola.

Publicamos agora este documento, concluído no decurso do passado mês de Abril, que muito se relaciona também com o projecto da ReMA, deixando aqui o seu Sumário Executivo e disponibilizando no final deste artigo o link para a consulta integral do excelente documento.

INDÚSTRIA DAS TIC´S EM ANGOLA

Sumário Executivo:

Pretendeu-se com o presente estudo encontrar um conjunto de soluções que potenciasse, na República de Angola, o desenvolvimento e crescimento de uma verdadeira indústria no sector das Tecnologias de Informação e Comunicação. Nesta medida, e após uma breve introspecção da realidade angolana, identificando pontos fracos e mais valias aqui existentes, fizemos uma análise das experiências bem sucedidas em termos internacionais, relatando os sucessos obtidos por países que se viram obrigados a desenvolver as Tecnologias de Informação, criando uma indústria própria e que lhes permite, agora, assumir uma posição primordial nas relações internacionais neste sector.

Cabe, por isso, nesta sede, indicar as iniciativas e estratégias que consideramos fundamentais para a implementação de uma indústria das Tecnologias de Informação e Comunicação na República de Angola, em complemento às diversas medidas já adoptadas nesse sentido:

  1. Melhorias das infra-estruturas básicas já existentes, nomeadamente no que concerne ao fornecimento de energia eléctrica e na questão da acessibilidade da população angolana à Internet;

  1. Criação de uma indústria nacional de hardware e software, através da criação de unidades produtivas nacionais deste tipo de tecnologias; relativamente à produção de hardware, e numa primeira fase, deverá começar-se pelo desenvolvimento e produção de equipamentos informáticos assembláveis, até que o país se torne autónomo na cadeia de produção de computadores e de outros meios informáticos; relativamente ao software, as respectivas unidades de produção deverão sempre orientar-se no sentido de desenvolver os produtos que, a este nível, respondam de forma adequada às necessidades de gestão dos vários sectores da Administração Pública e da população angolana em geral; como denominador comum na produção deste tipo de bens e produtos, está o objectivo de se limitar, gradualmente, a sua importação e o tornar cada mais competitivo o preço dos produtos tecnológicos no mercado nacional.

  1. Aposta na pesquisa e investigação científicas, designadamente através da criação de centros de pesquisas e investigação, que actuarão em coordenação com as instituições nacionais de Ensino Superior do país, e também com as empresas nacionais e estrangeiras do sector, e através também da criação de parques tecnológicos nos quais aqueles centros e empresas venham a instalar-se;

  1. Realização de auditorias e consultoria na área das tecnologias de informação e comunicação, como forma de estudar e adoptar os modelos de outros países onde este sector se desenvolveu com sucesso, e nos quais continua ainda hoje a crescer de forma notável;

  1. Formação e qualificação dos recursos humanos nacionais na área das tecnologias de informação e comunicação, o que se logrará através da transferência de competências de empresas estrangeiras que laboram no país, neste sector; através da promoção do intercâmbio dos nossos estudantes para instituições estrangeiras de ensino, neste domínio, com o objectivo de aí aperfeiçoarem os seus conhecimentos em TIC; através da criação de incentivos que façam regressar os quadros angolanos à República de Angola; através da criação de cursos tecnológicos nas instituições nacionais de Ensino superior do país e através da concepção e implementação de planos para o ensino e formação das Tecnologias de Informação e Comunicação junto dos jovens do ensino básico;

  1. Fomento da cultura informática da população angolana, criando-se centros de formação para o efeito, desenvolvendo-se campanhas de publicitação e de sensibilização para o uso das novas tecnologias e criando-se as condições de financiamento necessárias para que a população possa aceder, a baixos custos, aos bens tecnológicos;


  1. Intervenção do Estado Angolano, na criação de quadros legislativos e regulamentares adequados à implementação de uma indústria das tecnologias de informação e comunicação, na elaboração de políticas de formação dos nacionais no exterior do país, na aplicação de fundos internacionais e/ou provenientes dos recursos naturais para o financiamento das actividades de formação, pesquisa e desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação, na disponibilização de financiamentos e criação de incentivos e subsídios para projectos e programas estratégicos a desenvolver pela várias empresas nacionais do sector, até que estas possam transformar-se em empresas auto-suficientes, competitivas e lucrativas, na criação de incentivos para as empresas que venham a empregar os profissionais angolanos com formação na área das tecnologias de informação e comunicação e na criação de parques tecnológicos, enquanto espaços por excelência para o desenvolvimento tecnológico.

Did you like it? Share with your contacts!

Leave a comment

Leave your comment or question on the topic here to help the community or for the community to help you

Comments

©2021 ASGLOBAL / Angola Formativa // Viana - Luanda - Angola | Agência WebdesignBYDAS

Back to start

angola

tecnologias

luanda

informação

formação avançada

criação

universidades

faculdades

estudar em angola

bolsas de estudo

angola

tecnologias

luanda

informação

formação avançada

criação

universidades

faculdades

estudar em angola

bolsas de estudo

angola

tecnologias

luanda

informação

formação avançada

criação

universidades

faculdades

estudar em angola

bolsas de estudo

angola

tecnologias

luanda

informação

formação avançada

criação

universidades

faculdades

estudar em angola

bolsas de estudo

angola

tecnologias

luanda

informação

formação avançada

criação

universidades

faculdades

estudar em angola

bolsas de estudo

angola

tecnologias

luanda

informação

formação avançada

criação

universidades

faculdades

estudar em angola

bolsas de estudo

angola

tecnologias

luanda

informação

formação avançada

criação

universidades

faculdades

estudar em angola

bolsas de estudo

angola

tecnologias

luanda

informação

formação avançada

criação

universidades

faculdades

estudar em angola

bolsas de estudo

angola

tecnologias

luanda

informação

formação avançada

criação

universidades

faculdades

estudar em angola

bolsas de estudo

angola

tecnologias

luanda

informação

formação avançada

criação

universidades

faculdades

estudar em angola

bolsas de estudo